No dia 13 de março (segunda-feira), a partir das 18h30, as Edições Sesc São Paulo promovem no CineSesc o lançamento do livro Era o hotel Cambridge: arquitetura, cinema e educação, da arquiteta e diretora de arte Carla Caffé. A obra registra a experiência pedagógica e artística da autora em parceria com alunos do curso de arquitetura da Escola da Cidade, experiência essa que explorou as fronteiras entre arquitetura e cinema e entre arte e educação ao desenvolver o trabalho cenográfico, o desenho dos figurinos e a direção de arte do premiado filme Era o hotel Cambridge, de Eliane Caffé, cuja pré-estreia para o circuito comercial acontece no mesmo evento.

O longa-metragem figura entre ficção e documentário e se passa inteiramente dentro do edifício Cambridge, localizado no centro de São Paulo. Hotel de luxo na década de 1950, o prédio de 15 andares ficou abandonado durante anos até ser ocupado pelo movimento Frente de Luta por Moradia (FLM), em 2012.

Por meio da linguagem de história em quadrinhos, o livro retrata o longo processo de pré-produção do filme, em que os alunos de arquitetura puderam conviver intensamente com os moradores do edifício e desenvolver o projeto cenográfico de forma a também equipar os espaços de convivência dos residentes com melhorias arquitetônicas que poderiam ser deixadas no local. O antigo salão de jantar, por exemplo, foi equipado para se transformar na lan house da personagem Uta durante as filmagens e, posteriormente, tornou-se a biblioteca coletiva da comunidade. O antigo bar do hotel foi ambientado para ser o teatro do personagem Apolo, e hoje é um brechó e um espaço de trabalho das costureiras que vivem na ocupação, entre outras transformações.

Mesclando trabalho e criação coletiva e o problema da falta de moradia nas grandes cidades, a obra revela que fazer cinema é muito mais do que fazer um filme. Voltada a educadores, arquitetos, estudantes, cineastas e interessados em cinema e na questão do morar nas grandes cidades, a publicação retrata o grande desafio de ensinar, criar e trabalhar coletivamente em um espaço incomum, precário e com pessoas de origens, línguas e histórias tão diversas.

Como a própria autora explica na introdução, “(…) ao final do processo de direção de arte e filmagem, havia tanto material produzido coletivamente pelos alunos e oficinas e tantas imagens de caráter estético e investigativo que foi possível construir esta narrativa visual de contornos arquitetônicos sobre o processo de feitura da direção de arte do filme. Assim, nesta história em quadrinhos emerge toda essa aventura que explorou as fronteiras entre o cinema e arquitetura por meio de uma experiência pedagógica, a fim de nos sensibilizar para as inúmeras maneiras do fazer artístico e lançar uma reflexão emergencial sobre a moradia nos grandes centros urbanos”.

Além da introdução da autora Carla Caffé, Era o hotel Cambridge traz textos de Eliane Caffé, Jorge Lobos, Lucia Santaella, Nabil Bonduki e Raquel Rolnik, além de uma entrevista com Carmen Silva, líder da Frente de Luta por Moradia (FLM).

Ficha Técnica do Livro
Era o Hotel Cambridge: arquitetura, cinema e educação
Autora: Carla Caffé
Edições Sesc São Paulo
ISBN: 978-85-9493-022-4
Páginas: 296 páginas
Formato: 17,7 x 23,6 cm
Preço a definir

Serviço:
Lançamento do livro Era o hotel Cambridge: arquitetura, cinema e educação
Com sessão de autógrafos
Autora: Carla Caffé
Data: 13 de março de 2017, segunda-feira, às 18h30
Local: CineSesc
Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César

Pré-estreia em circuito comercial do filme Era o hotel Cambridge (93 min.), às 21h
Direção: Eliane Caffé
Sinopse: O filme conta a inusitada trajetória de um grupo de refugiados que divide com os sem-teto uma ocupação no centro de São Paulo. Na tensão diária pela ameaça de despejo, revelam-se pequenos dramas, alegrias e diferentes visões de mundo dos ocupantes. O filme estreou no 64th Festival de San Sebastián, na Espanha, e já foi exibido na 40ª Mostra de Cinema de São Paulo (onde recebeu o prêmio de Melhor Filme pelo Voto Popular) e no Festival do Rio (onde ganhou o Prêmio de Melhor Montagem e também Voto Popular de Melhor Filme). Foi reconhecido também no Festival de Rotterdam e obteve menção honrosa no Prêmio Spanish Cooperation.

Fonte: Sinny Acessoria